22ª CIPM apresenta Plano de Ação para Simões Filho

Prefeito Diógenes Tolentino anunciou projetos da Prefeitura em parceria com a PM

A 22ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) apresentou, na manhã desta segunda-feira (12), o seu Plano de Ação para Simões Filho. Apresentado pelo comandante da unidade policial, Major Fábio Dias, as ações contam com 12 objetivos e metas para os próximos quatro anos (2017-2020).

A convite da Corporação, o prefeito Diógenes Tolentino e o secretário da Ordem Pública, Cap. Bartolomeu Mota, participaram da cerimônia. A Prefeitura, através de convênios, auxilia a PM no combate à criminalidade no município.

Entre as propostas apresentadas pela 22ª CIPM, que conta hoje com um efetivo de 138 policiais militares em atuação na cidade, está o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), que irá monitorar as escolas da Rede Pública Municipal. Segundo o Major Dias, o Proerd atingirá 80% das unidades de ensino do município até 2020. Outra ação, já em andamento, é a restruturação das Bases Operacionais da PM. Neste primeiro momento, as obras das unidades da BA-093, do Centro e de Ilha de São João, realizadas pela Prefeitura, estão em processo final de requalificação.

“A Prefeitura não tem medido esforços para nos ajudar. Tem sido uma parceira. E a PM, unida com a Prefeitura, com o Legislativo e com a comunidade organizada, através desses objetivos, com acompanhamento, com prazos estipulados e com um retorno rápido à comunidade, vamos melhorar e muito a segurança pública do município”, afirmou o Major Dias.

De acordo com o secretário Bartolomeu, os resultados fazem parte de uma ampla articulação que conta com a participação efetiva do Poder Público Municipal, além de órgãos de defesa e controle social do município.

“A 22ª CIPM tem uma atuação exclusiva no território do município. Por esse entendimento, a Prefeitura disponibiliza viaturas, combustível, servidores públicos para prestar serviços internos para que a Companhia libere seus homens para atuar nas ruas, além de garantir a locação de imóveis para abrigar as Bases Operacionais”, disse o chefe da Semop.

Entre as ações previstas, o prefeito Dinha anunciou a elaboração de um plano para monitoramento do Centro Industrial de Aratu (CIA).

“Estamos elaborando propostas para levar aos empresários. O objetivo é dar início ao monitoramento do CIA, uma região que tem sido utilizada por criminosos, o que tem contribuído com o aumento dos índices negativos de violência. Se conseguirmos monitorar 24 horas por dia o CIA, vamos inibir a ação de criminosos que têm utilizado a região para descartar carros roubados, muitas vezes com corpos”, lamentou o gestor simõesfilhense.

 

*Ascom

Leia também: