Acidente em parque aquático muda rotina de turismo no Ceará

Sem tobogãs e piscinas, bugueiros viraram opção para os viajantes.

Após o acidente que matou um turista na última segunda-feira (16),  parque aquático, Beach Park, em Fortaleza, fechou as portas. Hotéis deixaram de vender ingressos para a atração e, sem tobogãs e piscinas, bugueiros viraram opção para os viajantes.

Segundo informações da Folhapress, as cadeiras na praia onde fica o Beach Parque estavam praticamente vazias nesta terça (17). Mesmo com alguns garçons afirmando que o parque abriria, hotéis não venderam ingressos para a atração. A assessoria do parque confirmou que o local abrirá as portas na hoje (18).

Julho é alta estação no Ceará e um dos principais destinos é o Beach Park. As avenidas Litorânea e Oceano Atlântico, que dão acesso à atração e costumam ficar engarrafadas nesta época do ano, estavam esvaziadas. O mesmo pode-se ver na praia: no lugar de música, mesas lotadas e fila de espera, era possível sentar-se em qualquer local.

Pelas ruas do Porto das Dunas, onde fica o parque, notícias de outros acidentes no local eram o assunto do dia. Em janeiro, um grupo de turistas viveu momentos de tensão e chegou a ter que furar boias para escapar de um acidente no parque aquático, que fica na região metropolitana de Fortaleza. Em 2002, Renan Júlio Osterno Rodrigues da Silva, morreu enquanto brincava em uma das atrações.

Na falta do parque, dispararam os passeios de bugue. “Costumamos fazer em média de 20 a 30 passeios nesta época do ano. Mas hoje fizemos 150”, afirmou a empresária local, Alba Moisés.

Em média, os turistas estavam aguardando em torno de 1h para poder fazer um passeio com os bugueiros locais. Ao todo 50 veículos tiveram que dar conta da demanda, a empresa de Alba e a Associação Ecológica dos Bugueiros de Aquiraz se revezaram entre os passeios.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*