Após previsão de Guedes, Bolsonaro garante que existe brecha para reajustar salário mínimo pela inflação

Foto: Reprodução / Carolina Antunes - PR

Nesta terça-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro destacou que o governo enxerga a possibilidade de uma brecha para reajustar o salário mínimo no país, pelo menos no mesmo índice da inflação do ano passado. No fim de 2019, o governo federal publicou uma Medida Provisória (MP) que reajustava o salário mínimo com base em uma previsão do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

De acordo com a  MP, o valor do salário mínimo ficaria em R$ 1.039. Porém, o INPC oficial de 2019 foi divulgado em janeiro de 2020, e o índice ficou acima do esperado (o governo previa 0,62% em dezembro, mas foi de 1,22%). Por essa razão, o valor do mínimo ficaria abaixo da inflação.

Bolsonaro disse ainda que vai ter uma conversa na parte da tarde com da Economia, Paulo Guedes, para discutir o tema.

“Vou me reunir com o Paulo Guedes agora à tarde. Eu acho que tem brecha para a gente atender. É porque a inflação de dezembro foi atípica, por causa do preço da carne. Então vai ser duas da tarde, tenho um despacho com o Paulo Guedes para decidir esse assunto”, disse Bolsonaro a jornalistas na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada.

Em seguida Bolsonaro, foi questionado se a ideia era recompor pelo menos o valor do INPC. O presidente respondeu que sim. “É, a ideia. No mínimo isso aí. Agora, cada R$ 1 no salário mínimo são mais ou menos R$ 300 milhões [de impacto] no Orçamento. A barra é pesada, mas a gente tem que… Apesar de ser pouco o aumento, R$ 4 ou R$ 5, tem que recompor”, concluiu.

Uma das possibilidades para viabilizar o reajuste do salário mínimo acima da inflação é o governo propor ao Congresso uma alteração da medida provisória, que ainda não começou a tramitar no Legislativo. Os parlamentares estão de recesso e voltam ao trabalho no início de fevereiro.

 

3 Comentário

  1. Isso é um absurdo,enquanto o governo diz que o impacto será de mais ou menos R$ 300 milhões a cada real de aumento,qual é o impacto que tem na economia ficar pagando pensões vitalicias para filhas de militares?isso ele não diz

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*