Árbitro de fora para primeiro jogo da decisão

A pressão dos clubes, principalmente da diretoria do Bahia, deu certo.

A Comissão Estadual de Arbitragem decidiu nesta semana que um árbitro de fora irá apitar o primeiro Ba-Vi da decisão do Campeonato Baiano, no domingo, no Estádio de Pituaçu.

O sorteado para o jogo foi o paulista Wilson Luiz Seneme (foto).

Como assistentes foram escalados o baiano Alessandro Álvaro Rocha de Matos e o paranaense Roberto Braatz.

Todo trio é do quadro da Fifa.

Durante todo o Campeonato Baiano, a atuação dos árbitros foi bastante criticada.

Nos quatro jogos das semifinais, Bahia, Bahia de Feira, Camaçari e Vitória reclamaram de lances cruciais das partidas.

“Tudo isso é missa encomendada.

Uma armação contra o Bahia”, chegou a declarar o superintendente de futebol do Bahia, Elizeu Godoy.

O Bahia, por sinal, foi o time que mais reclamou da arbitragem local.

Logo após a classificação para a decisão, o presidente Marcelo Guimarães Filho concedeu entrevistas para as rádios baianas exigindo árbitros de fora para a decisão.

O pedido foi aceito e a Comissão de Arbitragem relacionou dois profissionais de fora do Estado para o sorteio.

Além de Wilson Luiz Seneme, que vai apitar o clássico, também estava na lista o gaúcho Leandro Pedro Vuaden.

Árbitro já se envolveu em polêmicas

A intenção dos clubes de pedir um árbitro de fora e da Federação Bahiana de Futebol (FBF) em acatar o desejo não significa que com o escolhido os erros não existiram no Ba-Vi, mas de evitar reclamações e insinuações posteriores.

Até porque, como qualquer profissional, o paulista Wilson Luiz Seneme errou em lances importantes e já esteve envolvido em muitas confusões.

Uma delas foi no ano passado, quando foi preservado pela Comissão de Arbitragem da CBF depois de falhas em uma partida entre o Atlético Mineiro e o Grêmio.

“Espero que a CBF faça alguma coisa e puna esse árbitro.

Faça o que for, porque o futebol brasileiro não merece isso.

Foi uma arbitragem totalmente caseira, horrorosa e de baixíssimo nível”, disse o presidente do time gaúcho, Duda Kroeff, ao avaliar a atuação de Seneme, acusado também de xingar os jogadores gremistas dentro de campo.

Este ano, nova polêmica.

Seneme foi o árbitro do último clássico entre Corinthians e São Paulo.

Ele expulsou o corintiano Dentinho e o são-paulino Washington depois de uma dividida.

O atacante tricolor não perdoou.

“Se eu falar o que penso vou ficar um mês sem jogar.

Fui tocar na bola e levo isso (a cotovelada do corintiano, que fez seu nariz sangrar) e ainda sou expulso”.

Além dos erros, o árbitro já teve problemas fora de campo.

Em 2007, Seneme foi reprovado por duas vezes em testes realizados pelo Fifa.

Na segunda avaliação, ele abandonou a prova por conta de dores na coxa.