Bahia joga mal, não suporta pressão e perde para o Atlético-PR

O próximo compromisso do tricolor será contra o Sport na Arena Fonte Nova

O triunfo diante do Ceará, sendo o primeiro na Série A fora de casa, deu um fio de esperança ao torcedor do Bahia para o próximo compromisso da equipe longe de casa. Porém o bom futeboç não se repetiu e o tricolor caiu diante do Atlético-PR por 2 a 0.

Na primeira etapa o Esquadrão sofreu uma pressão enorme, viu Douglas brilhar com 5 grandes defesas e sair lesionado, atrapalhando totalmente o rumo na etapa final onde o Furacão não precisou criar muito para vencer por 2 x 0, com gols de Pablo e Rony, na estreia do jovem goleiro Fernando Castro.

Este foi o sétimo revés do Tricolor Baiano em 11 jogos como visitante na Série A, com outros 3 empates a apenas um triunfo. Já para o Atlético-PR chega ao quinto triunfo consecutivo dentro da Arena da Baixada e ao nono jogo sem perder (7 pela Série A e 2 pela Sul-Americana). Com o resultado, o Bahia segue com os 25 pontos na 14ª posição, colocado no Z4, enquanto o Furacão dá mais um salto na tabela e com 27 pontos se instala na 9ª colocação.

Encerrado o “tour” longe de Salvador, com duas derrotas e um triunfo, o Esporte Clube Bahia volta para Salvador e inicia a preparação durante a semana para o duelo contra o Sport-PE, na quarta-feira, às 19h30, na Arena Fonte Nova, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Atlético-PR viaja para São Paulo onde enfrenta o Palmeiras, também na quarta, mas às 21 horas, no Allianz Parque.

Sem seu principal jogador (Zé Rafael), vetado com dores na região lombar, o Bahia foi jogou com Douglas (Fernando Castro), Bruno (Nino Paraíba), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore e Elton; Vinícius, Élber e Edigar Junio; Gilberto.

2 Comentário

  1. Atuação ridícula do Bahia e para piorar o técnico ficou assistindo Elber errar tudo que fazia, Edgar Junio e Vinicius andarem em campo sem nada produzirem. Faltou peças de reposição e resta depender de Zé Rafael.

  2. Atuação ridícula do Bahia e para piorar o técnico ficou assistindo Elber errar tudo que fazia, Edgar Junio e Vinicius andarem em campo sem nada produzirem. Faltou peças de reposição e resta depender de Zé Rafael.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*