Caminhoneiros criticam alta do diesel e ameaçam greve em 10 dias

Grupo de caminhoneiros critica o aumento de dez centavos de real no valor do diesel anunciado nesta quarta feira, 17, pela Petrobras. Há ameaças de paralisação em todo o país em um prazo de, no máximo, dez dias.

“Esse governo está louco”, afirma o caminhoneiro Wanderlei Alves, conhecido como Dedéco, que foi considerado um dos líderes da greve de 2018. Segundo ele, dez centavos não é pouco para a categoria. Ele exemplifica dizendo que gasta 9.000 reais em combustível por mês e, com o aumento de dez centavos, o custo subirá em 900 reais.

“Eu deixei as minhas intenções bem claras para o governo federal. A paralisação estava marcada para o dia 21 de maio, mas, se houvesse aumento no preço do combustível, íamos parar tudo antes”, afirma Dedéco. Ele acrescenta que, se fosse por ele, a paralisação começaria já na segunda-feira, 22, mas, como o grupo precisa decidir em conjunto, o prazo não passaria de dez dias.

A solução defendida pelo caminhoneiro para o problema seria estagnar o preço do diesel até que haja um piso mínimo para o frete. “O preço do combustível sobe e o frete não. A conta não fecha.”

Ele ainda afirma que a liderança dos caminhoneiros que está em contato com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, não representa a classe. “Muitos deles nem têm caminhão. Eles não sabem o que é viver como a gente.”As informações são da revista Veja.

4 Comentário

  1. Vcs caminhoneiros tem o poder não mão, se quiserem resolver esse poblema já tinha resolvido
    Lembrem se o Brasil está na mão de vcs
    O comando é dessa categoria que toca esse país, e não é respeitada por esse governo
    Mostra pra eles , e vcs que tem que dizer como vai ser a partir de agora
    Para tudo

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*