Casa de proprietário da DAG Construtora em Camaçari foi alvo da PF

Durante entrevista coletiva, os investigadores afirmaram que a DGA Construtora foi quem comprou um terreno em São Paulo, a pedido da Odebrecht, para sediar o Instituto Lula.

Foto: Gilberto Júnior / Bocão News
Foto: Gilberto Júnior / Bocão News
Casas do empresário foram alvos da Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato,Foto: Gilberto Júnior / Bocão News

A casa do empresário baiano, Demerval Gusmão, dono da DAG Construtora e amigo de Marcelo Odebrecht, foi alvo da Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta segunda-feira, 26.

Em Salvador, a polícia cumpriu mandados na casa do empresário na Mansão Terrazzo Imperiale, no Horto Florestal, e também no bairro do Stiep, onde fica a sede da construtora. A PF também esteve em outra casa do empresário, no Condomínio Busca Vida, na cidade de Camaçari.

Durante entrevista coletiva, os investigadores afirmaram que a DGA Construtora foi quem comprou um terreno em São Paulo, a pedido da Odebrecht, para sediar o Instituto Lula. Posteriormente, os agentes encontraram um projeto para construção de um prédio com dimensões que coincidiam com as do terreno. Segundo a polícia, as negociações para a construção do suposto prédio eram constantemente submetidas à avaliação do ex-ministro Antônio Palocci.

A polícia buscou na localidade “documentos de qualquer natureza que envolvam a compra e venda, pagamento e recebimento do preço, destinação, do imóvel localizado na Rua Doutor Haberbeck Brandão, 178, São Paulo/SP, matrícula nº 188.853 do 14º”. Além disso, buscaram “HDs, laptops, pen drives, smartphones, arquivos eletrônicos, de qualquer espécie, agendas manuscritas ou eletrônicas, dos investigados ou de suas empresas, quando houver suspeita que contenham material probatório relevante”

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*