Coordenador da Ciretran de Simões Filho relata como Irmã Dulce mudou sua vida

Na manhã desta segunda-feira, 07, durante entrevista no programa Bahia No Ar , apresentado pelo radialista Roque Santos, coordenador de Habilitação do Ciretran de Simões Filho,  José Edson Santiago mais conhecido como Didica, contou um pouco de sua história, sua relação com Irmã Dulce e como a ajuda da freira mudou sua vida.

Criado em um orfanato gerido por Irmã Dulce, o coordenador contou que , após o pai sofrer uma grande perda financeira, ele junto com sua mãe e irmãos, morou embaixo de um viaduto no estado de Minas Gerais por cerca de oito meses. Após esse período, mesmo com muita dificuldade, uma parte da família conseguiu retornar para Simões Filho.

Quando voltou para a Bahia, Didica contou que a situação também era muito difícil e para conseguir sobreviver ficava no lixão catando materiais para vender. A ideia de levar Didica para o orfanato partiu do Pr. Edmilson, já falecido. Na época, a mãe dele foi muito criticada, inclusive, Didica contou que ficou muito chateado por ter sido levado para o orfanato.

Na primeira noite no orfanato Didica fugiu com o irmão, mas, por conta de uma forte chuva que caiu na cidade, voltou para o local, onde morou por 12 anos. No novo lar, a disciplina era efetiva, as crianças tinham horários de comer, dormir, acordar, participavam das missas e também das tarefas que eram divididas.

Didica disse que no tempo em que viveu no orfanato só recebeu amor, carinho e apenas uma repreensão da freira que ficou conhecida como o “anjo bom da Bahia”. Segundo o coordenador todo sábado Irmã Dulce ia visitar os “filhos” que eram mantidos na instituição. Ele acrescentou que abaixo de Deus a freira foi tudo para a sua formação como pessoa e profissional.

” Eu sei que é minha mãe, uma pessoa que me criou por 12 anos, me deu tudo que tenho hoje. Eu agradeço primeiramente e a ela. Ela só me ensinou coisas boas”, afirmou.

Didica relatou que quando Irmã Dulce faleceu o sentimento era que o mundo ia acabar, pois ninguém queria perdê-la.

Canonização 

Sobre os milagres atribuídos a Irmã Dulce,  que será canonizada no próximo domingo, 13, Didica afirmou que não ficou surpreso com as revelações, pois segundo ele, a futura santa transformou milagrosamente a vida de muitas pessoas.

 

 

 

 

 

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*