Segundo a polícia, o grupo de criminosos rendeu um entregador em frente a um supermercado em Mong Kok, distrito de Hong Kong onde atuam há anos gangues conhecidas como “tríades”.

Os 600 rolos foram avaliados em quase R$ 1 mil. A polícia disse ter prendido dois homens suspeitos do crime e recuperado parte do papel higiênico roubado.

O avanço do surto — com mais de 70 mil casos na China continental e 57 em Hong Kong — fez com que muitas pessoas estocassem mantimentos e itens de necessidade básica. A prática levou a prateleiras vazias e aumento nos preços.

Surgem enormes filas a cada nova leva desses produtos nos mercados e nas farmácias, com pessoas na porta desde a madrugada.

Ainda que o governo de Hong Kong assegure que o abastecimento não foi afetado pelo surto de coronavírus, moradores têm enfrentado bastante dificuldade para encontrar (e estocar) produtos como máscaras, papéis higiênicos e álcool para higiene.

A corrida aos mercados também levou à escassez de alimentos, como arroz e macarrão.

Esse cenário de pânico e escassez de produtos tem sido visto em diversos lugares da Ásia, como Cingapura e Taiwan.

Em Taiwan, o governo afirmou ter detectado a circulação da informação falsa de que a produção de papel higiênico iria ser reduzida para priorizar a produção de máscaras.

Fonte: BBC

 

0 0 voto
Article Rating