Delegado diz que nada justifica agressão a advogada na delegacia em Lauro de Freitas

Segundo ela, que gravou imagens da confusão, o PM Luiz Paulo Lima, da 81ª CIPM de Itinga), é o autor da agressão física

Foto: Reprodução/ TV Bahia

Após ter sido denunciado à Corregedoria da Polícia Civil pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA) por protagonizar uma confusão envolvendo um policial militar e uma advogada, o delegado plantonista da 23ª Delegacia de Lauro de Freitas, Geovani Paranhos, afirmou que não agrediu Thalita Duran, 30 anos, na madrugada do último domingo (3). 

A advogada disse em entrevista ao Correio 24 horas que, embora não tenha sido fisicamente agredida por Geovani, foi obrigada a assinar um documento antes de ler.

Segundo ela, que gravou imagens da confusão, o PM Luiz Paulo Lima, da 81ª CIPM de Itinga), é o autor da agressão física. A OAB-BA, no entanto, pediu o afastamento dos dois servidores.

2 Comentário

  1. Engraçado é que Está advogada membro da OAB filmou sem autorização os ritos dos policiais e porque não gravou desde do início? Será qUE vamos ter que deixar os advogados atuarem no combate os crime? Se com a polícia está difícil viver com segurança imaginem comacil uns defensores destes.

  2. Todo mundo fala em democracia e em direito, porém a OAB ao pedir o afastamento dos agentes públicos está sendo imparcial, será se a OAB já afastou a advogada? Ou ela já foi considerada inocente só por causa dessas imagens que nada mostra? A atividade policial é algo extremamente perigoso, são vários policiais assassinados diuturnamente, filmar policiais em serviços em alguns casos poderia já estar condenando-os a morte, haja vista que esses profissionais por receber baixos salários, moram em bairros periféricos de comunidades violentas e oculta sua profissão para proteger sua integridade e de sua família. Já os marginais que os advogados defendem no exércicio da função, são protegidos por eles, não deixam que ninguém filme, protege com unhas e dentes, resumindo, quem perde com isso? A sociedade é claro, pois a inversão de valores é tamanha a ponto de a OAB pedir o afastamento de dois policiais, que naquele dia estaria tirando três indivíduos de circulação, fazendo seu papel constitucional de proteger e servir com o risco da própria vida.
    Fico muito triste com essa mídia tendenciosa que fica o tempo todo se posicionando contra quem está trabalhando e favorável a quem perde as estribeiras e cria a confusão.
    O caso do menor no shopping, onde o segurança não deixou um rapaz pagar uma refeição para o mesmo, todos aqui já sabem as atividades tanto do menor quanto do maior que queria comprar o alimento, mais todos foram contra o segurança, que foi demitido e hj é mais um desempregado.
    O motorista de ônibus que se protegeu dos esquetista,idem;
    Os agentes de trânsito que perseguiram e prenderam uma moto, a midia caiu em cima, por sorte os agentes filmaram tudo, mostrou a fuga e uma série de infrações, mesmo assim a mídia depois não se desculpou.
    Infelizmente hoje só se pública o que dá Ibope, infelizmente.
    Sugiro que qualquer funcionário público que passar constrangimento com advogado, também filmes e façam reclamação na OAB, advogados são profissionais autônomos, não tem imunidade e não são autoridades públicas, qualquer um pode contratar.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*