Dinha fala sobre situação de servidores terceirizados da antiga administração do HMSF; audiência aconteceu pela manhã

Foto: Reprodução

Na manhã desta segunda-feira (20), por volta das 10h, foi iniciada uma audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT-BA), em Salvador, para tratar da situação dos servidores que prestavam serviço terceirizado ao Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF), através da antiga gestão, que era feita pela Associação de Proteção à Maternidade e a Infância de Castro Alves (APMI).

No início da tarde, durante a segunda edição do programa Bahia No Ar (transmitido pela rádio Sucesso 93.1), o repórter Valfredo Silva conversou com o prefeito do municipio de Simões Filho, Diógenes Tolentino, mais conhecido como Dinha. De início, ele assegurou que tudo será feito para garantir o direito dos servidores.

“Nossa preocupação está pautada como item número um a garantia do direito do servidor, os trabalhadores da APMI, que eles possam ter o acompanhamento constante não só da parte do prefeito, mas de toda gestão, para que transcorra de uma forma amigável e saudável. Por isso, atendi aqui no período da manhã os funcionários e ex-funcionários, para que juntos pudéssemos buscar o alinhamento jurídico e garantir o direito do trabalhador. Isso foi feito hoje, aconteceu por volta das 10 horas da manhã, em Salvador, uma reunião no Ministério Público Federal do Trabalho. O doutor Jarbas Magalhães, solicitou essa audiência pra que o Ministério Público do Trabalho pudesse arbitrar e garantir que qualquer acordo entre a APMI e a Prefeitura pudesse ser cumprido e pudesse garantir o direito dos trabalhadores; isso foi feito logo cedo”, pontuou Dinha.

Questionado sobre o andamento da audiência, o gestor simõesfilhense assegurou que o caminho era favorável ao planejamento do Executivo.

“Eu tive já a informação de um procurador que transcorreu de um forma favorável ao entendimento que nós do planejamento havíamos feito. E eu fico feliz, o primeiro passo foi dado para que os servidores recebam o salário do mês de dezembro [2019]”.

O prefeito ainda assegurou que todos os detalhes do que ficou definido durante a audiência de hoje serão passados em breve por meio de um comunicado oficial. Ele também fez um balanço de sua gestão, destacando a atuação na secretaria da Saúde.

“Janeiro de 2017 pagamos salário em dia, colocamos as dívidas do município de uma forma muito clara, mas negociando e cumprindo com nossos compromissos. Quando assumi, a folha estava atrasada, do servidor, do mês de dezembro [2016]. A gente pagou a folha no final do mês de janeiro e de janeiro de 2017 pra cá nós estamos cumprindo as obrigações com os servidores municipais de Simões Filho, e não seria diferente com aqueles que fazem parte das terceirizadas. Vamos estar acompanhando, porque entendemos que a prioridade é fazer com que todos possam ser respeitados e tratados de forma digna”, ressaltou.

Transição

No final de dezembro do ano passado, a prefeitura anunciou que a administração do HMSF seria modificado, passando da APMI para a Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed).

A Fabamed assumiu o controle da unidade hospitalar às 0h do dia 31 de dezebro de 2019.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*