Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) desde de 1983, o empresário Eraldo Reis, tem demonstrado publicamente seu descontentamento com a escolha da advogada Ivoneide Caetano para disputar as eleições majoritárias de 2020, em Camaçari.

No último sábado (16), o empresário utilizou as redes sociais para comentar sobre o assunto. Durante o texto, ele cita o nome do governador Rui Costa (PT), como também do ex-deputado estadual Bira Coroa (PT). Bira, que chegou a manifestar internamente sua indignação referente ao processo de escolha do nome de Ivoneide como candidata da sigla na disputa das eleições municipais do ano que vem. VEJA MATÉRIA COMPLETA.

Na legenda da publicação de Eraldo em seu perfil no Facebook, ele escreveu: “Bira Corôa tem toda legitimidade para reivindicar a sua postulação como candidato a Prefeito de Camaçari, representando uma Frente de Oposição. Cabe ao Governador Rui Costa, líder político do campo progressista na Bahia, decidir se a escolha de Candidaturas a Prefeito 2020 será feita visando a atender interesses Oligárquicos ou de Frente Partidária.”

O ex deputado Bira Coroa, já tinha anunciado que não daria apoio a Ivoneide; os petistas alegam que houve uma imposição de Caetano pra indicar o nome de Ivoneide. “O que eu vou dizer a população? Como vou apresentar Ivoneide? Como esposa de Caetano?”, chegou a questionar Bira Coroa.

Um outro militante do Partido dos Trabalhadores no município também se posicionou sobre o assunto. Ele disse: “Caetano foi tratador, não é assim que define um projeto de cidade, projeto de governo” desabafou.

No entanto, a publicação de Eraldo também apontou militantes que defendem o nome de Ivoneide, foi o caso do ex-procurador do município, Dr. Jeffiton, que pontuou ao longo do primeiro texto: “É preciso entender que o líder político no município é Caetano, e este conhece a cidade e seu povo como ninguém”.

Eraldo retrucou destacando, entre muitos aspectos, a seguinte reflexão: “Imagine a vergonha de ver uma cidade do porte de Camaçari sendo Governada do quarto de uma residência particular!?”

Jeffiton mais uma vez respondeu, ressaltando que existia “algo de pessoal” ao que chamou de “nessas suas raivosas palavras”, referindo-se ao posicionamento exposto por Eraldo. Ele também pontuou que era estranho o empresário falar que “o projeto de Ademar [ex-prefeito de Camaçari] estava fadado ao insucesso”, pois segundo Jeffiton, Eraldo “foi um dos principais colaboradores daquele governo”, e ainda solicitou que Eraldo tivesse um momento reflexivo. “Faça uma reflexão, e retome a razão e o bom senso que sei que sempre lhe acompanhou”.

Por fim, Eraldo assegurou que não existe “Nada, nada, de pessoal” em suas palavras. Ele garantiu que sua participação na gestão de Ademar só aconteceu “após 18 meses de instalado, e nunca integrei o núcleo decisório do governo”.

Veja abaixo uma análise feita pelo radialista Roque Santos:

 

0 0 voto
Article Rating