Elinaldo dá detalhes de reunião para impedir fechamento da Fafen

Prefeito voltou a dizer que união política será crucial para intervir na desativação da empresa.

Durante entrevista ao Bahia No Ar, nesta quinta-feira, 22, o prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo, falou sobre sua ida ao estado do Rio de Janeiro, onde se reuniu com o diretor-executivo de Refino e Gás Natural da Petrobras, Jorge Celestino, com a finalidade de impedir que a unidade da Fafen na cidade feche as portas.

Na ocasião, Elinaldo ressaltou a importância da Fafen no município e pontuou que diversas empresas funcionam a partir do que ela produz. O gestor falou também sobre os prejuízos financeiros que a desativação da empresa vai causar em toda região, sem falar no aumento do desemprego. “O fechamento da Fafen iria nos causar um impacto na receita em torno de R$ 10 milhões, sem falar nos mais de mil desempregados”, disse.

No encontro, o gestor esteve acompanhado do presidente da Câmara, vereador Oziel, do vereador Marcelino e do presidente do Sindipetro, Radiovaldo. O prefeito afirmou que na reunião se colocou a disposição para encontrar uma forma de não fechar a unidade, mas, enfatizou que é preciso que exista união de outros prefeitos, tendo em vista que, mesmo localizada em Camaçari, a Fafen emprega pessoas de várias cidades da Região Metropolitana.

“Estou fazendo contato com os prefeitos da região metropolitana, é preciso que haja união de todos neste processo, porque o fechamento da Fafen vai impactar toda a região. Não podemos permitir que o presidente Temer, no apagar das luzes, tome uma medida que vai prejudicar duas cidades tão importantes como Camaçari e Laranjeiras [SE]”, disse o gestor, lembrando que a unidade de Sergipe também poderá ser fechada.

Elinaldo disse ainda que o fechamento da empresa seria uma abertura para a desativação de outras empresas. “É muito preocupante. Hoje vai e fecha a Fafen, amanhã pode ser a Braskem. Se isso acontecer, acabou o Polo. Camaçari não pode perder a Fafen”, concluiu.

Ainda sobre a reunião, Elinaldo explicou que em um único encontro não seria possível resolver o assunto e revelou que está buscando o diálogo com o prefeito de Laranjeiras e agenda com o governador Rui Costa, para que todos possam interceder juntos em um novo encontro.

“Vamos usar toda nossa força política e na semana que vem vamos organizar uma reunião maior e tenho certeza que a Fafen não será fechada”, disse.

Veja também:

Elinaldo diz que vai buscar solução para trabalhadores da Fafen “até abraçado com Caetano”

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*