Em 2019, Brasil ocupou ranking mundial de país com mais mortes de travestis

Foto: Reprodução / Paula Rodrigues - Ponte Jornalismo

Na quarta-feira, 29, conforme informações da coluna do Ancelmo, do jornal O Globo, a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) irá divulgar um Dossiê de Assassinatos e Violência contra Travestis e Transexuais Brasileiras, referente ao ano passado. No total, foram contabilizados pela entidade cerca de 124 casos. Esse número mantém o Brasil no primeiro lugar no ranking mundial.

O documento aponta que destes casos, apenas 11 tiveram suspeitos identificados pela polícia. A maioria das vítimas era negra (82%), do gênero feminino (97%) e morava no Nordeste (37%). As vítimas com idades entre 15 (três delas) e 29 anos correspondem a 59,2% do total.

Em dois dos casos, as vítimas foram apedrejadas até a morte. Em um outro, a pessoa foi espancada e enforcada.

Ainda segundo a associação, a subnotificação continua sendo um grande problema, situação que ocorre com outros indicadores sociais. Eles destacaram a existência de formulários de atendimento a vítimas de violência em delegacias que não incluem marcadores de orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*