Enderson afirma que sua equipe foi superior no clássico e rebate torcida: “Me dedico 24h para o Bahia”

O resultado deixou o Esquadrão em situação complicada na tabela

O clássico Na-Vi terminou empatado em 0 a 0 na tarde deste domingo (10), na Arena Fonte Nova, pela oitava rodada do Campeonato Baiano. Após o apito final, Enderson Moreira disse que o Bahia foi superior ao Vitória e que o resultado não condiz com o que viu em campo.

“Acho que, falando do jogo, o que posso analisar, acho que começamos muito bem o primeiro tempo. Depois de uns 20, 25 minutos, a equipe do Vitória conseguiu, muito através das bolas paradas, controlar o jogo. Acho que houve uma igualdade, talvez até uma superioridade deles nesse período. No segundo tempo foi um domínio completo da nossa equipe, criando várias oportunidades, chegando muito pelo lado, chegando com finalizações de fora da área, buscando o gol de uma maneira incansável. No segundo tempo, particularmente, a equipe fez um ótimo jogo. A decepção nossa, acredito que do torcedor também, foi pelo resultado, porque a gente fez por merecer um resultado muito diferente do que aconteceu”, afirmou.

Enderson ainda falou das vaias da torcida do Tricolor que entoaram o grito: “Queremos treinador”.

“Sou um profissional do futebol. Já fui muito questionado, muitas pessoas depois reconhecem o trabalho. Me dedico 24h para o Bahia, tento fazer meu melhor. Sou um profissional que estou preparado para todas as situações, as cobranças, a pressão por resultado, embora possa ser responsabilizado por tudo que não aconteça de bom, a gente sabe que no futebol é uma sequência de situações que podem fazer você vencer um jogo ou não. Não posso cobrar que jogassem mais, porque jogamos muito melhor que nosso adversário. A gente sabe que falta. O que falta? Às vezes é aquela bola entrar mesmo. É uma grande diferença quando a bola entra e quando não entra. Acho que a equipe tem produzido, tem jogado, tem lutado muito”, disse.

O resultado deixou o Bahia em situação complicada na tabela de classificação do Baiano. Neste momento, o Tricolor está fora do G-4, ocupando a quinta colocação com 12 pontos. Enderson falou do risco de eliminação precoce do time no estadual e dividiu com a diretoria do clube a opção por times alternativos devido ao calendário deste início de temporada. 

“Claro que ninguém quer isso, mas juntamente com a direção trilhamos um caminho. A gente sabia que era um número excessivo de jogos. Teve situação que tivemos jogo na quarta e na quinta. A gente sabia que não ia colocar a equipe principal em todos os jogos. Fizemos algumas opções, é o segundo jogo que a gente entra com o time principal, que mais joga. Mas foi uma decisão nossa, sabia muito bem do risco. Não está nada perdido, tem muita coisa aberta nessa última rodada. Matematicamente não tem ninguém garantido. Claro que a gente não gostaria de chegar nessa situação. Os campeonatos que a gente disputa são muito importantes. Mas a gente sempre tentou colocar a melhor equipe para jogar”, justificou.

Na última rodada do Baianão, o Bahia visita o Jequié, no Waldomirão, domingo (17), às 16h. Porém, antes disso, o Tricolor volta ao gramado na quarta-feira (13), às 19h30 para receber o Sergipe, novamente na Fonte Nova, pela sexta rodada da Copa do Nordeste.

8 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*