Estupros, abortos e espancamentos: jovem de Camaçari relata abuso praticado por padrasto durante oito anos

Em um total de cinco postagens, a jovem relata momentos de terror, humilhação e pânico.

A história da jovem Eva Luana, moradora de Camaçari, que foi dada como desaparecida no dia 31 de janeiro, ganhou mais um capítulo nesta terça-feira, 19. Em uma de suas redes sociais, a jovem que é estudante de Direito, revelou que sofreu por mais de oito anos, uma série de abusos praticados por seu padrasto. Segundo Eva, a mãe dela também foi vítima dos mais diversos tipos de violência.

Em um total de cinco postagens, a jovem relata momentos de crueldade, terror e humilhação pelos quais foi submetida ao longo dos anos, a exemplo de ter que dormir na casa do cachorro, comer o próprio vômito, ser espancada de todas as formas, sair despida na rua durante a madrugada, além de ser torturada psicologicamente.

Luana conta que começou a ser violentada sexualmente aos 12 anos, logo em seguida foi obrigada a se afastar dos amigos, passou a ser perseguida pelo padrasto e até o dinheiro conquistado por ela ou a mãe, através de algum trabalho tinha que ser entregue ao agressor. A estudante afirma que sofreu diversos abortos e nunca pode ser levada ao médico para receber os devidos cuidados. A jovem disse ainda que constantemente era ameaçada de morte, para que não revelasse a ninguém, o que de fato ocorria com sua família.

No extenso relato, ela também conta que o padrasto escolheu a faculdade que ela poderia estudar, pois desta forma poderia vigia-la, além disso, ela também era obrigada a responder as provas e os trabalhos acadêmicos dele. Ele também tinha acesso a todas as senhas de plataformas digitais, emails, redes sociais e monitorava todas as suas conversas diariamente.

Ela revela que tentou o suicídio e que chegou a denunciar o agressor, porém foi obrigada a retirar a queixa, por conta disso, seu calvário só piorou com o passar do tempo. Por fim, a jovem que está sob proteção jurídica, agradece ao apoio recebido e pede que a Justiça seja feita. Eva também diz que revelou sua história, para que outras meninas na situação dela, também tenham coragem para denunciar.

O padastro de Eva Luana, foi preso na semana passada e a Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM), permanece a frente das investigações sobre o caso. Vale ressaltar que Eva Luana, foi encontrada cerca de 24 horas após o desaparecimento. Em uma primeira postagem na epoca, ela sinalizou que era vítima de abusos e que o caso havia sido denunciado.

Confira as postagens:



47 Comentário

  1. Minha querida olha eu,minhas irmãs passaram pela mesma coisa que vc passou mas a minha mãe foi mais corajosa e fugiu com todas nós éramos cinco e meu pai era militar,mandou os policiais nos caçar,um centro espírita Emanoel nos acolheu ,nos guardou. E procuramos a justiça que também falhou
    Tivemos que nos esconder por longos anos.

  2. Santo Deus misericórdia SENHOR JESUS dessa alma .
    Estou muito chocada com o que aconteceu com a essa garota e a sua mãe.
    Ele vai pagar caro pelo que ele fez. Deus tarda mais não falta.
    A justiça do céu irá abraçar esse verme.
    DEUS abençoe grandemente à todos nós.

  3. Desgrasado hoje em dia o que mais existe infelizmente..muitas sofre decha_se levar com medo de denuciar o individuo.Mais temos qui lutar juntas e o pisicopata ele consegue lhe iludir manipular de uma forma qui vc nao cosegue conversar com ninguem mais Deus é o nosso refugio e Fortaleza..Força minha querida qui vc e sua mae sejam felizes🙏🙏🙏

  4. infelizmente esse é o nosso pais, por que a justiça não ajudou ela antes??? por que não deram ouvidos??? já que falam que a palavra de uma criança justifica tudo ?? POR QUE
    Sera que queriam mais PROVAS ?? OU A DELA NÃO FOI O BASTANTE?
    nossa ela perdeu a metade da VIDA dela sofrendo. sendo chamada de animal!! não vivia , perdeu a melhor fase de sua vida!! poxa ela só queria proteção proteção, e mais nada ! sua mãe perdeu um filho!! sabe oque e isso? então !! agora a JUSTIÇA NAO PODE FALHAR DE NOVO #SOMOSEVA

  5. Quantas Evas estão sofrendo nesta cidade, nesse estado, nesse Brasil, o estado precisa agir rapidamente, mãe e filha tem que estar muito bem protegida, pois no dia que este demônio for solto, a primeira coisa que ele vai fazer è matar mãe e filha que nosso bondoso Deus proteja estas almas .

  6. Ao que parece o agressor tem uma parafilia ou fetiche sexual, considerada, por sua gravidade, uma psicopatia,a coprolagnia é matéria de estudos psiquiátricos. Sem estudos, a sociedade não avança. Creio que esse tipo de indivíduo deveria ser estudado em prisões especiais para estudos médicos e jurídicos.

    Matar o agressor pode dificultar estudos jurídicos, médicos e científicos sobre o tema, a cura e a identificação de sinais de crimes de outros indivíduos que nasceram com esse distúrbio.
    Ademais, a punição por morte não existe no nosso sistema jurídico formal.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*