Exame confirma bactéria da peste bubônica em paciente do Rio de Janeiro

Último caso da doença foi registrado no Brasil em 2005.

Uma mulher de 57 anos, que está internada no Hospital Luiz Palmier, no Rio de Janeiro, teve a presença da bactéria Yersinia pestis, que transmite a peste bubônica, confirmada após um exame.

Segundo informações do G1, amostras da paciente foram analisadas pela Fiocruz, que identificou presença de bactéria que provoca a peste bubônica
A secretaria municipal de Saúde de São Gonçalo, afirmou que foi iniciado um tratamento com antibióticos para combater a bactéria, e a paciente foi internada em uma área de isolamento para evitar uma possível disseminação.

Conforme a publicação, apenas a presença da bactéria não pode ser considerada peste bubônica, doença conhecida popularmente como peste negra, mas é necessário conter o desenvolvimento da Yersinia pestis.

A paciente foi internada no final de dezembro, quando apresentou insuficiência cardíaca. Após a coleta de amostras oral, nasal e anal, foi também solicitada uma amostra da pele, pois a mulher tinha uma ferida na perna.

Foi por meio desta amostra que se verificou a presença da bactéria. Uma coleta de hemocultura também foi enviada para análise para a Fiocruz , mas o resultado ainda não foi divulgado.

Uma equipe do controle de zoonoses da Vigilância Ambiental foi enviada à casa da paciente para investigar se há a presença de pragas e roedores. Nada foi encontrado.

Conforme o G1, o último caso da doença foi registrado no Brasil em 2005. A bactéria que provoca a peste bubônica é transmitida por picadas de piolho e pulga.

No século 14, surtos da enfermidade fizeram com que a peste ficasse marcada como a epidemia mais mortal da história: 25 milhões de pessoas perderam a vida, ou mais de um terço da população da Europa, apenas entre 1347 e 1351, segundo informações da BBC.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*