Filho de Flordelis teria matado o pai a mando de irmão, diz polícia

O motivo do crime seria uma traição de Anderson, que estaria mantendo uma relação amorosa extraconjugal.

Foto: Reprodução

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) apontam que Lucas dos Santos, de 18 anos, um dos filhos adotados pela deputada federal e pastora evangélica Flordelis e pelo pastor Anderson do Carmo de Souza, foi um dos executores do assassinato dele ocorrido na madrugada do último domingo (16). Um dos mandantes do crime foi Flávio Rodrigues de Souza, de 38 anos, filho biológico de Flordelis. Ambos foram presos na segunda-feira (17). As informações são do portal Extra.

Flávio de Souza tinha um mandado de prisão pendente por violência doméstica e foi preso durante o sepultamento do corpo de Anderson no cemitério Memorial de Nictheroy, no bairro Laranjal, em São Gonçalo.

Já Lucas foi preso no momento em que prestava depoimento na DHNSG. Contra ele, havia um mandado de apreensão por tráfico de drogas quando ele ainda era menor de idade. No início da tarde, policiais da DH chegaram à casa de Flordelis.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do estado, entrou no caso que investiga a morte do pastor evangélico. O promotor Sérgio Luiz Lopes Pereira foi à Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo e disse que o Gaeco entrou nas investigações. Ele tem uma reunião marcada com a delegada Barbara Lomba e com policiais que participaram da investigação do caso.

O motivo do crime seria uma traição de Anderson, que estaria mantendo uma relação amorosa extraconjugal. Ao prestar depoimento, Lucas se contradisse e teria decidido confessar o crime e acusar Flávio de ser um dos mandantes depois que policiais mostraram imagens de câmeras de segurança em que ele aparece na cena do crime. Transtornado, Lucas incriminou Flávio e contou detalhes que estão auxiliando a polícia na investigação do crime. Ao menos sete dos 30 tiros disparados contra pastor atingiram região pélvica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*