Fronteira com Paraguai tem policiamento reforçado após fuga de presos ‘altamente perigosos’

Foto: Reprodução / Cléber Júnior - Agência O Globo

Após a fuga de 75 prisioneiros da Penitenciária de Pedro Juan Caballero, que fica na fronteira com o Paraguai, o policiamento foi reforçado na região, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, através do uso de helicópteros e barreiras. No grupo dos fugitivos, existem 40 brasileiros e 35 paraguaios. A maioria é integrante de um grande grupo criminoso conhecido mundialmente.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública disse que a fronteira com o Paraguai não está fechada na região de Mato Grosso do Sul e que brasileiros e paraguaios continuam podendo ir e vir. Por meio do Ministério do Interior, o governo do Paraguai anunciou o alerta máximo na Polícia Nacional e o auxílio dos melhores investigadores da instituição em Pedro Juan Caballero e nos arredores.

Para as autoridades, os presos usaram um túnel para fugir da prisão. Um foi recapturado quando tentava escapar pelo túnel. No entanto, o ministro do Interior, Euclides Acevedo, não descartou a ajuda de agentes penitenciários na fuga. “Aqui há cumplicidade com as pessoas lá dentro e esse é um fenômeno que abrange todas as penitenciárias”, analisou.

Ainda de acordo com o ministro, é provável que alguns dos presos já tenham escapado para o Brasil; ele assegura que a maioria dos fugitivos é altamente perigosa.

Por meio do Twitter, na tarde de ontem (19), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou que o trabalho do governo brasileiro segue em parceria com as forças de segurança paraguaias para impedir a entrada dos criminosos no território brasileiro.

“Estamos trabalhando junto com as forças estaduais para impedir a reentrada no Brasil dos criminosos que fugiram de prisão do Paraguai. Se voltarem ao Brasil, ganham passagem só de ida para presídio federal”, garantiu Moro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*