Nesta quinta-feira (11), conforme informou a secretária de Saúde de Candeias, Soraia Cabral, um diretor, uma enfermeira e um auxiliar de serviços gerais foram exonerados de seus respectivos cargos. Eles atuavam no Hospital Ouro Preto, situado na cidade. A decisão se deu após a repercussão de um vídeo, onde aparece o corpo de uma criança, que nasceu sem vida, sendo “arrumado” pela própria família no caixão, no meio da rua, ao lado de uma caixa de lixo.

“Quando nós tivemos conhecimento dessa filmagem muito grosseira, muito agressiva. Automaticamente abrimos uma sindicância para apurar os fatos. Ela ainda não foi concluída, mas, ontem a gente já exonerou três profissionais. Um diretor, uma técnica de enfermagem e um auxiliar de serviços gerais, que era responsável pela desinfecção do necrotério”, pontuou Soraia durante entrevista à TV Bahia.

Foto: Reprodução / Vídeo

Na terça-feira (9), a Secretaria de Saúde abriu uma sindicância para apurar o ocorrido e identificar todos os envolvidos. Inicialmente, a pasta afastou todos os funcionários da equipe que trabalharam na unidade hospitalar na segunda-feira (8), quando o caso foi registrado.

Ainda de acordo com a secretária, a sindicância deve ser concluída até a sexta-feira (12) e todas as medidas necessárias para punições dos envolvidos serão adotadas.

Em nota, a prefeitura de Candeias destacou que recebeu com extrema indignação as imagens divulgadas nas redes sociais. O órgão municipal também revelou que notificou a funerária, que terá que dar explicações sobre o fato ocorrido.

0 0 voto
Article Rating