Gêmea siamesa que nasceu unida pelo tórax morre em Salvador

A outra gêmea permanece internada na Maternidade Climério de Oliveira. A mãe das meninas,  afirma que a bebê tem estado de saúde considerado bom.

Morreu em Salvador, nesta terça-feira, 06, a pequena Débora, uma das gêmeas siamesas que nasceram unidas pelo tórax. A menina sofria com problemas cardíacos e hidrocefalia.

Segundo informações do  G1, Débora já havia passado por três cirurgias e morreu em decorrência de complicações no quadro de saúde.

A irmã, Catarina, permanece internada na Maternidade Climério de Oliveira. A mãe das meninas,  afirma que Catarina tem estado de saúde considerado bom.

Conforme a publicação, Débora estava em recuperação na Maternidade Climério de Oliveira, para onde foi transferida após internação no Hospital Ana Nery, também na capital baiana.

Em 19 de outubro, Débora havia sido submetida à implantação de uma válvula cardíaca para melhorar a frequência dos batimentos do coração, a respiração e para possibilitar a retirada da intubação endotraqueal – para que ela pudesse respirar sem ajuda de aparelhos.

As gêmeas siamesas nasceram em 22 de agosto no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia, no dia 22 de agosto. A mãe é de Salvador mas o nascimento aconteceu na capital de Goiás porque a cidade possui um centro de referência para casos de siameses. Catarina e Débora nasceram unidas pelo tórax e barriga.

O G1 recorda que as irmãs nasceram na 37ª semana de gestação. Elas compartilhavam apenas o fígado. Nasceram pesando 4,785 quilos e, logo após o parto, elas foram encaminhadas para a UTI Neonatal. Nos dias 15 e 16 de setembro, elas foram transferidas para duas unidades médicas de Salvador.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*