Geninho enaltece triunfo, mas reconhece: “Não teve uma qualidade técnica muito grande”

Com o resultado, o Leão chegou aos 9 pontos e agora ocupa a 2ª colocação do Grupo B

Foto: Reprodução

Após o triunfo do Vitória diante do CRB, por 2 a 1, no Barradão, nesta quinta-feira (28), o técnico Geninho avaliou o jogo sem muita qualidade técnica e de chutões em excesso. Mas, para o treinador o importante foi se firmar na zona de classificação da Copa do Nordeste.

“O principal foi atingido, que era a vitória, para que subisse na classificação e continuasse com chances reais de classificação entre os quatro. Jogo difícil, adversário complicado, experiente, que também precisava do resultado. Jogo truncado, de muita falta, muito erro de passe, nervoso, de muita correria. Pode ver que sempre se faz uma análise de posse de bola. Nenhum dos dois times tiveram posse de bola. Dividiram uma posse de bola baixa. Um jogo de muito chutão, muita bola disputada no alto, muito choque. Não teve uma qualidade técnica muito grande. Nós já tivemos jogos aqui, o próprio Vitória já fez alguns jogos em que demonstrou mais qualidade, futebol melhor, saída de bola mais arrumada. Mas gostei de alguma coisa. O time, em alguns momentos, conseguiu velocidade na transição, que não vínhamos fazendo muito. Criamos outras chances e cedemos algumas possibilidades para o adversário, que não é muito normal, porque o Vitória vinha tendo, do meio para trás, seu melhor setor. Hoje o CRB chegou algumas vezes na minha área, criou algumas situações de gol, que não vínhamos sofrendo. Jogo diferente dos outros que tivemos, vamos ter que ter muita calma, olhar o vídeo, ver o que aconteceu, onde erramos, para que ajuste, para que nós não corramos risco nos próximos jogos que corremos neste jogo”, analisou o treinador.

De acordo com Geninho, o Vitória teve dificuldades na etapa inicial. Ele também analisou o desempenho de Jean, que foi titular pela primeira vez, e acabou substituído no intervalo.

“O primeiro tempo, nós tivemos dificuldade no encaixe. Ficou nítido que o Jean precisa de mais ritmo, ficou um bom tempo parado. Era necessário que colocássemos, porque ele tem possibilidade de entrar no jogo de quinta, já que Guilherme está suspenso. Mas sentimos que não houve encaixe com Guilherme. Guilherme também não rendeu quando saiu da dele. CRB jogou bastante ali, teve bastante volume. No segundo tempo, colocamos um meia que vinha jogando. Equilibrou mais, mas erramos num quesito que não é normal. Erro de passe. Nos precipitamos quando poderíamos trabalhar melhor a bola para chegar organizado na frente. Queríamos muito ligação direta, apesar de o CRB deixar o espaço. Erramos muito passe, muito lançamento. Nesse afã de errara ligação trazia o adversário para cima. E ele vinha trabalhando mais a bola do que o Vitória. Criou algumas chances de penetração, chute de fora, bola alçada em cima do Gamalho. Mas perdemos [chances]. Tivemos, na reta final, pelo menos umas três chances reais de gol. Duas no pé do Magrão, outra com Viçosa. Poderia dar tranquilidade maior ao jogo. Por isso falo que foi um jogo atípico do que o Vitória vinha fazendo”, destacou.

Com o resultado, o Vitória chegou aos nove pontos e agora ocupa a segunda colocação do Grupo B.

Agora, a equipe principal do Vitória volta suas atenções para a Copa do Brasil. O time rubro-negro encara o Lagarto, na próxima quinta (5), às 19h15, no Barradão. Pelo Nordestão, a equipe volta a campo no dia 8 de março, um domingo, às 18h, contra o ABC, no Frasqueirão.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*