Grupo de mulheres no Facebook contra Bolsonaro é hackeado

Nome da página, que reúne mais de 2 milhões de participantes, foi alterado na noite de sábado

O grupo de Facebook “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, que ganhou cerca de 2 milhões de participantes nos últimos dias e virou um fenômeno nas redes sociais, sofreu ataques de hackers, e teve o nome alterado no sábado (15) á noite.

Após invasão, o nome da página foi alterado para “Mulheres com Bolsonaro #17”.

Com a repercussão nas redes sociais, o grupo passou por instabilidade e por volta das 0h30 deste domingo (16), o endereço estava fora do ar.

A Candidata à vice-presidência na chapa encabeçada por Fernando Haddad (PT), Manuela d’Ávila (PC do B) usou o Twitter para comentar o assunto.

“Os fascistas invadiram o grupo de 2 milhões de mulheres contra Bolsonaro presidente e alteraram seu nome. Força meninas”, escreveu.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*