O cantor Guilherme Arantes aproveitou para falar sobre sua carreira em uma entrevista para a revista Veja SP. Aos 70 anos, o artista consagrado como ídolo da Música Popular Brasileira (MPB) disse que o seu maior sonho atualmente é conseguir se ‘igualar’ àqueles que fizeram ter vontade de atuar no gênero.

O meu foco é trabalhar pelo pertencimento ao patamar de cima da MPB — onde estão Chico, Gil, Gal, Caetano, Bethânia, Milton, e a geração um pouco posterior, com Alceu, Djavan, Luiz Melodia, Lenine. Chico Buarque é o meu maior ídolo. Quero um lugarzinho nesse panteão”, afirmou ele, listando outros nomes fortes da música nacional.

Ao ser questionado sobre uma suposta parceria musical com Luísa Sonza, que desponta no cenário atual como uma das grandes intérpretes da nova geração, Arantes foi enfático: “A minha história não parou. Vou entrar em um período de muita produtividade. Não me interessa fazer parceria com Luísa Sonza, com os novos, como outros colegas estão fazendo“.

Segundo ele, o projeto tem como focar artistas que tem mais tempo de carreira, como uma forma de se aproximar de suas raízes e inspirações, que fizeram compor grandes músicas, como ‘Planeta Água’ e ‘Cheia de Charme’, seus maiores sucessos. “Me interessam os grandes, os antigos. Estou indo para trás, porque é assim que vamos resolver a charada da música brasileira para a frente. Quero desesperadamente ser maior do que eu sou”, completou Guilherme Arantes.

5 1 voto
Article Rating