HGC: secretários de Saúde se reúnem com subsecretária do Estado para discutir reforma

Foto: Reprodução

Na terça-feira (3) a subsecretária de Saúde do Estado da Bahia, Tereza Cristina se reuniu com os secretários de Saúde dos municípios de Camaçari, Pojuca, Conde, Mata de São João, Dias d’Ávila e Simões Filho para debaterem a reforma da emergência do Hospital Geral de Camaçari (HGC). A unidade é referência para 26 municípios.

Este é o segundo encontro com a subsecretária para discutir estratégias que minimizem o impacto da reforma no sistema de urgência e emergência das cidades atendidas pelo HGC, conforme relatou o secretário de Saúde de Camaçari, Elias Natan, que ainda pontuou alguns detalhes da conversa no primeiro encontro com Tereza.

“No nosso primeiro encontro, apresentamos a nossa preocupação com a reforma que iria começar, até onde nós tínhamos conhecimento, sem um plano de ação para evitar um impacto negativo sobrecarregando as unidades de urgência e emergência dos municípios”, explicou Natan.

Durante a reunião de ontem, ficou acertado que nas próximas semanas o Estado apresentará um plano de ação do fluxo de atendimento dos pacientes durante o período da reforma, que começará de 40 a 60 dias após a conscientização da população quanto aos pacientes de urgência e emergência que devem ser atendidos no HGC e os que devem ser atendidos nas unidades de urgência e emergência dos municípios, como UPAs e PAs.

Quando se trata de urgência e emergência, existem quatro tipos de pacientes classificados por cores de risco, fator que determina o local de atendimento.

Os pacientes com classificações verdes e azuis devem ser atendidos nas unidades municipais de urgência e emergência. E os pacientes identificados como amarelos e vermelhos são destinados ao HGC, UPAs e PAs do município.

“Nós municípios faremos um trabalho de conscientização junto à população sobre esse fluxo antes do Estado iniciar a reforma”, anunciou Elias Natan.

Abaixo a tabela de classificação de risco por cores:

VERMELHO: Pacientes considerados em estado gravíssimo. Nesse caso, o paciente necessita de atendimento imediato e possui risco de morte. Ou o paciente precisa de atendimento o mais prontamente possível. Esses pacientes devem ir para emergência do HGC ou uma UPA.

AMARELO: Pacientes considerados em estado de gravidade moderada. Nesse caso o paciente possui condições clínicas para aguardar. Esses pacientes devem ir para emergência do HGC, uma UPA ou PA.

VERDE: Pacientes considerados em estado menos grave. Nesse caso exige atendimento médico, mas o paciente pode ser assistido no próprio consultório, de forma ambulatorial em Unidades Básicas de Saúde ou Unidades de Saúde da Família.

AZUL: Pacientes considerados em estado de menor complexidade e sem problemas recentes. Nesse caso, o paciente deve ser atendido e acompanhado no consultório médico, no formato ambulatorial. Esses pacientes também devem procurar atendimento ambulatorial em Unidades Básicas de Saúde ou Unidades de Saúde da Família.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*