HGE realiza 1° transplante de pele do Estado em menina que teve 40% do corpo queimado

A doação veio do banco de pele da Universidade de São Paulo (USP)

A equipe de transplantes do Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, realizou o primeiro transplante de pele alógena (doada por outra pessoa) em uma unidade da rede própria da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Antes, o único transplante de pele ocorrido na Bahia foi em 2015, no Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), unidade federal. 

O procedimento, realizado na quinta-feira (21), beneficiou uma menina de 16 anos, que teve queimadura de 3º grau em 40% do corpo. Ela estava internada no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do HGE há três semanas, após sofrer um acidente de carro, que pegou fogo.  O cirurgião plástico Marcus Barroso, coordenador do setor de transplantes e do Centro de Queimados do HGE, explicou que o departamento foi recém-habilitado e, de agora, em diante passará realizar o procedimento.

A doação veio do banco de pele da Universidade de São Paulo (USP), de um único doador, pois a Bahia ainda não possui esse serviço.  De acordo com Barroso, embora esse transplante não exija compatibilidade, como ocorre com a doação de outros órgãos, a pele passa por um preparativo rigoroso, que inclui diversos exames, para não ocorrer nenhuma reação adversa no paciente.

29 Comentário

  1. Que maravilhoso os Médicos do HOSPITAL GERAL DO ESTADO DA BAHIA , está fazendo esse transplante de pele no corpo dessa menina, é uma prova absoluta que á Ciência Existe, e tem força e poder no planeta terra.

  2. É uma conquista maravilhosa, mas digo por experiência que é uma vitória da pessoas que lá trabalham e que lutam contra o sistema falho do Sus e do do governo da Bahia pra fazerem seus trabalhos. O governo do estado faz uma propaganda imensa em cima do hospital mas quem não está lá não sabe que falta tanta coisa, Antibióticos, medicamentos, curativos, equipamentos quebrados por não sei quanto tempo, ressonância que demoram mais de um mês nos pacientes internados, lençóis, exames . E nessas condições que os funcionários tentam fazer o melhor pro doente e o máximo que recebem são seus salários atrasados.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*