Homem que infectava mulheres com HIV é condenado a sete anos de prisão

"Não restam dúvidas quanto ao dolo do acusado em manter relações sexuais com as vítimas", disse a juíza

Foi condenado a 7 anos de prisão pela Justiça do Rio de Janeiro, Renato Peixoto Leal Filho, acusado de infectar mulheres com o vírus HIV propositalmente.

A denúncia partiu das vítimas, que alegaram terem sido enganadas e influenciadas a manterem relações sexuais com o acusado, sem saberem que ele seria soropositivo. A decisão, publicada no último dia 23 no Diário da Justiça Eletrônico do Rio de Janeiro, é de primeira instância e cabe recurso.

O acusado estava sendo investigado desde 2015, quando aconteceram as primeiras denúncias. Segundo o Extra, ele abordava as mulheres em redes sociais, e se apresentava como empresário. Durante os relacionamentos, ele não informava para as parceiras que era portador do vírus HIV, e as obrigava a ter relações sexuais sem camisinha.

A defesa alegou que as mulheres sabiam que Renato era soropositivo, e que o contágio de duas delas não foi proposital. Com o andamento das investigações, ele teve a prisão temporária decretada em 2017. Segundo a sentença, assinada pela juíza Lúcia Regina Esteves de Magalhães,  “não restam dúvidas quanto ao dolo do acusado em manter relações sexuais com as vítimas, a fim de lhes transmitir enfermidade incurável”. Renato deve cumprir pena em regime fechado.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*