Jair Bolsonaro quer isentar dono de terra que atirar em invasor

FOTO: Alan Santos/PR

O Palácio do Planalto enviará ao Congresso Nacional um projeto de lei para incluir no chamado “excludente de ilicitude” os crimes cometidos em defesa da propriedade rural. Na prática, isso significa que, se um fazendeiro executar um invasor de terras, por exemplo, ele responderia a processos, mas estaria isento da possibilidade de punição.

A promessa foi feita nesta segunda-feira(29), pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante participação no Agrishow, evento com produtores rurais em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Segundo Bolsonaro, o projeto “vai dar o que falar”, mas será levado adiante pelo Planalto.

Outra proposta na mesma linha é a que permite o porte de armas para o produtor rural. Bolsonaro disse ter tratado do assunto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante conversa no domingo (28), e ouvido deste a promessa de pautar o projeto para a apreciação dos parlamentares.

54 Comentário

  1. Quero saber se essa excludente de ilicitude vai valer para as comunidades tradicionais também? Para os indios, quilombolas e afins? O que tem de fazendeiro invadindo terra que não é sua, não está no gibi! Um país onde se tem um dos índices mais altos de assassinatos de defensores do meio ambiente e líderes de comunidades tradicionais, essa licença é nada mais que a perpetuação do extermínio desse povo.

  2. Bolsonaro é ignorante,Mas os eleitores são mais. Se bozo convocar os eleitores pra comer o redondo deles. Vai ter gente dormindo na fila.
    Os eleitores dele tem sede de sangue, e ele sabe disso, não trabalha e fica soltando promessas pra deixar os eleitores dele felizes. Só isso.

  3. Eu concordo se os invasores sabe q os donos das propriedades podem está armados vai invadir se quiser. Fica um bando de vagabundos saqueadores invadindo as propriedades alheias tem q sair escarrerado. Chumbo neles.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*