Dois repórteres da Revista Veja foram conduzidos pela Polícia Militar da Bahia para a delegacia na manhã desta sexta-feira (14/2). Hugo Marques e Cristiano Mariz, que é fotógrafo, foram localizados por uma guarnição da 32ª Companhia Independente (CIPM/Pojuca) na frente da fazenda de um homem apontado como testemunha-chave para esclarecer a morte do miliciano Adriano da Nóbrega.

A detenção foi publicada no portal da própria Veja. De acordo com a reportagem, a dupla foi abordada por PMs que indagaram a todo o momento o que eles estavam fazendo naquele local, parados. Um gravador, ainda segundo a Veja, também foi apreendido pelos policiais militares da 32ª CIPM. A revista afirma que, nele, havia diversas entrevistas feitas ao longo da semana sobre a operação da polícia baiana e carioca que resultou na morte de Adriano da Nóbrega. Em seguida, foram obrigados a seguir uma viatura até a Delegacia Territorial de Pojuca.

Após repercussão do caso, a Secretaria da Segurança Pública lançou uma nota informando que os jornalistas foram liberados após serem identificados.

NOTA OFICIAL

A Secretaria da Segurança Pública esclarece que moradores de uma localidade em Pojuca, Litoral Norte da Bahia, ligaram para polícia informando que homens, dentro de um carro, Gol, placa de Brasília, estavam rondando a região. A PM foi acionada, abordou o grupo e fez a condução até a Delegacia Territorial. Após se identificarem como jornalistas, foram liberados. Nenhum equipamento foi danificado, alterado ou ficou apreendido.

0 0 voto
Article Rating