O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) informou neste domingo, 16, que não acataria um pedido de prisão contra o âncora do Jornal Nacional, da Rede Globo, William Bonner.

O pedido foi feito pelo advogado Wilson Issao Koressawa, ue alegou que Bonner deveria ser preso por declarar seu apoio à vacinação contra Covid-19 para crianças e adolescentes.

Koressawa acusou o apresentador de integrar uma suposta organização criminosa com o objetivo de falar os impactos positivos da imunização. Além disso, o ex-candidato distrital também alegou que Bonner busca induzir as pessoas ao suicídio. No entanto, diante das acusações, nenhuma prova foi apresentada.

Gláucia Falsarella Pereira Foley, juíza responsável pelo despacho, classificou a situação como “delírio negacionista”, reforçando o direito de liberdade de imprensa dos jornalistas. “O poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa, quando não incendiados, por parte das instituições, sejam elas públicas ou não.”

Após o anúncio da decisão judicial, Bonner usou o Instagram para compartilhar uma foto em preto e preto, exibindo uma cara assustada.

0 0 votos
Article Rating