Nesta terça-feira (7), mais dois profissionais da saúde se tornaram vítimas do novo coronavírus (Covid-19), na Bahia. Um deles foi o enfermeiro Eduardo Nunes da Silva, de 38 anos, que morava em Feira de Santana e trabalhava na Maternidade Climério de Oliveira, em Salvador. A outra morte foi a da técnica de enfermagem de Itabuna (cidade no sul do estado), Patrícia da Silva Oliveira, de 49 anos.

No caso de Eduardo, o óbito foi registrado na segunda-feira (6), após ele passar quase 20 dias internado no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana. Ele sentiu os primeiros sintomas da doença no dia 29 de maio e foi afastado do serviço. O enfermeiro foi atendido em uma clínica particular em Feira, que depois da realização de exames, o mandou para o hospital de campanha.

Segundo os familiares, por causa de reclamações por falta de medicamentos na unidade de campanha, eles solicitaram a transferência de Eduardo para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). O profissional passou cinco dias no hospital de campanha e foi transferido para o HGCA, no dia 17 de junho. Ainda conforme os familiares, o enfermeiro não tinha conseguido ser internado em um hospital da rede privada porque o plano de saúde não permitiu, alegando carência. No entanto, os parentes asseguraram que não existe carência em situação de emergência e, por isso, tinham entrado com uma liminar para conceder liberação.

A liminar foi concedida, mas a família contou que, como Eduardo já estava internado, achou melhor não fazer mais outra transferência para preservar o estado de saúde dele. O enfermeiro permaneceu internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado grave, e não resistiu.

Já sobre Patrícia, ela atuava na linha de frente do enfrentamento ao novo coronavírus, no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães. A morte da técnica de enfermagem foi confirmada pela prefeitura de Itabuna, que emitiu nota de pesar nesta terça-feira. Não há detalhes sobre quando aconteceu o óbito, nem se Patrícia estava internada em alguma unidade de saúde. Ela deixa um filho de 14 anos.

Casos recentes

Na tarde do domingo (5), outro profissional também morreu por causa da doença. A vítima foi o cardiologista Rafael Costa Cruz, de 60 anos. Ele trabalhava na unidade semi-intensiva do Hospital Clériston Andrade, e também já havia prestado serviço em uma clínica privada na cidade de Camaçari, situada no Bairro dos 46.

Profissionais da saúde infectados

De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), divulgados nesta terça-feira, em toda a Bahia, já são 10.222 profissionais da saúde que foram confirmados com o novo coronavírus.

0 0 voto
Article Rating