Mais de 13 mil cargos efetivos são extinguidos pelo governo federal

Entre os cargos incluídos no decreto, figuram os de jardineiro, técnico em radiologia, guarda de endemias, mestre de lancha e operador de máquinas agrícolas.

Divulgação / PR

Um mês após a publicação do decreto presidencial que extinguiu 21 mil cargos comissionados, funções e gratificações da esfera federal, o governo de Jair Bolsonaro anunciou o fim de 13,2 mil cargos efetivos que já estão vagos ou que devem vagar nos próximos meses. Eles devem deixar de existir a partir do dia 12 de junho.

Entre os cargos incluídos no decreto, figuram os de jardineiro, técnico em radiologia, guarda de endemias, mestre de lancha e operador de máquinas agrícolas. Mais de mil vagas de visitador sanitário deixarão de existir.

Segundo o texto publicado no Diário Oficial da União, mais de 93% desses cargos já estão vagos. Apenas 916 aguardam a desocupação.

1 Comentário

  1. I o mais importante de tudo sai quando diminuir a quantidade de políticos no Brasil , colocar salário mínimo com descontos , carga horária de 8 horas por dia para todos os políticos, férias 30 dias, plano de saúde se pagar i aposentadoria igual a de trabalhadores comuns com mesma idade i tempo de contribuição sai quando reforma política.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*