Médicos decidem suspender alimentação oral de Bolsonaro

Foto: Reprodução

O boletim médico disponibilizado pelo Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, nesta quarta-feira (11) afirma que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) passou a receber alimentação endovenosa. Desde a segunda-feira (9), os médicos tinham introduzido uma dieta líquida para o presidente. Entretanto, diante da evolução do quadro, Bolsonaro só voltará a ingerir alimentos oralmente após novas avaliações.

De acordo com informações do comunicado, Jair Bolsonaro apresentou, nas últimas 12 horas, uma “lentificação dos movimentos intestinais e distensão abdominal”. Por esse motivo, não apenas a alimentação oral foi suspensa, como uma sonda nasogástrica foi implantada. Bolsonaro segue sem dores ou febre.

Na terça-feira (10), o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que está mantida a previsão para que Bolsonaro reassuma o cargo depois do fim do prazo de cinco dias licenciado. O vice-presidente Hamilton Mourão exerce interinamente a Presidência desde o último domingo, quando o presidente foi operado, e deve continuar na função até amanhã (12).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*