Ministro diz que pedidos como o de Flávio Bolsonaro vão para o ‘lixo’

Flávio Bolsonaro pediu que a investigação do caso envolvendo o seu ex-assessor fosse suspensa, alegando ter foro privilegiado.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, relator do caso envolvendo o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz, afirmou que vai assinar a decisão sobre ação movida pelo filho do presidente Jair Bolsonaro já no dia 1º de fevereiro.

“Já na sexta-feira, pela manhã, assinarei a decisão – sexta, dia 1º de fevereiro”, disse o ministro ao blog da jornalista Andréia Sadi, do ‘G1’.

“O Supremo não pode variar, dando um no cravo outro na ferradura. Processo não tem capa, tem conteúdo. Tenho negado seguimento a reclamações assim, remetendo ao lixo.”

“Não é antecipação de decisão. É só coerência com o que, até aqui, fiz”, concluiu Marco Aurélio.

O magistrado rejeitou pedidos anteriores parecidos com o que foi feito por Flávio Bolsonaro nesta quinta-feira (17).

Vale ressaltar que Flávio Bolsonaro pediu que a investigação do caso envolvendo o seu ex-assessor fosse suspensa, alegando ter foro privilegiado.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*