Morre a segunda vítima dos 80 tiros de ação do Exército no Rio

Carro fuzilado pelo Exército em Guadalupe, Rio — Foto: Fábio Teixeira/AP

O catador de materiais recicláveis Luciano Macedo morreu na madrugada desta quinta-feira, 18, onze dias depois de ter sido baleado durante uma ação do Exército em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. Macedo foi atingido pelos disparos enquanto tentava ajudar a família de Evaldo Santos da Rosa, músico que morreu na hora. Ao todo, agentes do Exército dispararam oitenta tiros contra o carro de Evaldo.

No último dia 16, a Justiça do Rio havia determinado a transferência do catador para um hospital com mais recursos. No entanto, ele acabou permanecendo Hospital Estadual Carlos Chagas, onde veio à falecer. Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado afirmou que Luciano Macedo não foi transferido em virtude de uma decisão médica, que considerou que ele não tinha as condições mínimas necessárias para o transporte. Informações da Veja.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*