Além de incluir mais três vereadores na lista de acusados de envolvimento em esquema ilícito supostamente comandado pelo presidente da Câmara Municipal de Camaçari, Oziel (PSDB), o promotor do Ministério Público Estadual (MP-BA), Everardo Yunes, responsável pelo setor de crimes de improbidade administrativa em Camaçari, também pediu a prisão preventiva do vice-presidente da referida casa legislativa, o vereador Zé do Pão (PTB).

Em entrevista ao Portal Bahia no Ar, o promotor esclareceu os motivos do repentino pedido de prisão preventiva para Zé do Pão, já que até o momento a solicitação de privação de liberdade havia sido solicitada apenas para o presidente Oziel. “Novos relatos de devolução chegaram através de uma testemunha, que, inclusive, afirmam ter recebido ameaças do vereador João Paulo Bezerra [Zé do Pão]”, conta o promotor.

Sobre o teor das ameaças, o promotor chegou a comentar que são “ameaças de morte”. “Ameaças dizendo para a testemunha não ficar de costas para a rua”, citou o promotor, para exemplificar o grau de intimidação relatado.

Novas denúncias – Everardo Yunes também citou uma denúncia feita em vídeo que circulou pelas redes sociais em que um homem fala da devolução de R$ 28 mil ao vereador Zé do Pão, bem como o relato, ainda não confirmado nos registros oficiais, de que a secretária doméstica do edil foi incluída na folha de pagamento do gabinete com salário de R$ 8 mil e que devolvia R$ 7 mil ao vereador.

A expectativa do promotor Everardo Yunes é que na semana que vem a Justiça se pronuncie sobre as denúncias e solicitações apresentadas pelo MP-BA. Ele afirmou ainda que mais de 100 processos investigativos estão em andamento em Camaçari.

0 0 voto
Article Rating