“Não nos sentimos perseguidos pelo Ministério Público”, esclarece Oziel Araújo

"Há um exército se promovendo em cima de um ‘achismo’ sem causa, usando de hipocrisia", disse, referindo-se aos que considera responsáveis por toda situação vexatória

Coletiva de imprensa na Câmara Municipal de Camaçari

A derrocada na imagem dos vereadores da cidade de Camaçari após denúncia de desvio de verba pública encaminhada à Justiça pelo Ministério Público Estadual (MP-BA) não deve ser interpretada como um embate direto entre os órgãos públicos. O presidente da Câmara Municipal, Oziel Araújo, para quem o MP-BA solicitou, além do afastamento do cargo, a prisão preventiva, declarou, durante coletiva de imprensa promovida na manhã desta sexta-feira (02), que qualquer sentimento de indignação exposto diante desta situação é voltado aos denunciantes que procuraram o MP e não ao órgão.

“Não nos sentimos perseguidos pelo Ministério Público. Pelo contrário, somos a favor do trabalho do MP, ao qual já declaramos total apoio. Nós nos posicionamos contra os denunciantes, que querem se promover e desgastar a imagem dos vereadores”, esclarece, acrescentando que pretende expô-los.

Denunciantes – “Há um exército se promovendo em cima de um ‘achismo’ sem causa, usando de hipocrisia. Sabemos o que está por trás e quem são as pessoas que estão promovendo isso. E não podemos nos defender sem mostrar a cara de quem está nos acusando”, afirmou, garantindo que tem conhecimento que são figuras ligadas a correntes políticas, sem falar na torcida negativa protagonizada por suplentes. “Houve ainda um movimento promovido por suplentes, interessados em nosso afastamento para assumir lugar na Câmara”, citou.

Leia também:

“Tudo que foi dito é uma grande mentira”, declara presidente da Câmara de Camaçari

4 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*