A vereadora Luciana Tavares (PCdoB) compareceu na 23ª Delegacia Territorial de Lauro de Freitas, nesta quinta-feira (5), para fazer um boletim de ocorrência após uma briga generalizada na Câmara Municipal.

Em entrevista, a parlamentar contou que teme acabar como Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada junto com seu motorista, Anderson Gomes, em 14 de março de 2018.

Para Luciana, a questão se trata, além de política, uma questão de gênero e violência. Ela também relatou que sofre perseguição por parte de um dos vereadores envolvidos na confusão, Gabriel Bandarra (União Brasil), o Tenóbio.

A confusão tomou conta da casa legislativa depois que Luciana propôs a desapropriação de um galpão conhecido como Carandiru, em Vila Nova de Portão.

0 0 votos
Article Rating