Na manhã desta terça-feira (30), durante a primeira edição do programa Bahia No Ar (Rádio Sucesso 93.1), o radialista Roque Santos conversou, por telefone, com o pré-candidato à prefeitura de Camaçari, Oziel Araújo (PDT). Ele que é ex-presidente da Câmara Municipal e representante da Assembleia de Deus, no cargo de presbítero.

Inicialmente, ele falou sobre o adiamento das eleições de 2020, em decorrência da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus (Covid-19).

“Eu entendo o seguinte, não existe eleição sem eleitor. A gente não pode abrir mão da manifestação popular para que haja uma eleição efetiva. Mas, a gente também não pode submeter ninguém a um risco, ao vírus, a uma situação que venha ameaçar a saúde e a segurança de ninguém”, opinou.

Questionado pelo radialista sobre a possibilidade de, futuramente, se unir a outras candidaturas, Oziel frisou que “apoio é fortalecimento”.

“Apoio é fortalecimento, se a gente tem pessoas que realmente querem nos apoiar, que acreditam que a nossa visão é por uma Camaçari com uma proposta nova, eu não vejo dificuldade de caminhar junto com ninguém. Se a gente tiver essa oportunidade de caminhar junto, eu não vejo dificuldade nenhuma de caminhar com os candidatos que estão”, garantiu.

O pré-candidato também falou sobre o cenário político na cidade, destacando as duas principais lideranças: o Partido dos Trabalhadores (PT), bem como o Democratas (DEM), siglas que, inclusive, ele já apoiou ao longo da caminhada na política.

“Nós temos aqui, hoje, em Camaçari, dois [2] grupos políticos, que somados, tem trinta e cinco [35] anos de existência […] onde alguns estão caminhando para a aposentadoria”, começou. “Nós estamos em um momento de renovação da política, a minha proposta é formar um grupo novo para perdurar e trazer dias melhores para Camaçari. É um projeto contínuo”, assegurou.


“Eu deveria entrar por alguma porta. Eu fiz esse caminho, entrando inicialmente pelo Partido dos Trabalhadores, onde não vi nenhum projeto que trouxesse melhoria para Camaçari, e decidi sair com o objetivo de melhoria. Tinha essa outra porta aberta, mas chegando lá identifiquei um projeto muito similar [ao do PT] de se manter no poder, de interesses próprios e mais uma vez decidi sair. Estou agora colocando minha candidatura sem estar ligado a nenhum dos dois. Não há arrependimento, entrei [na política] buscando as lideranças que tinham em Camaçari, mas como vi que não há interesses comunitários, me desvinculei e sigo buscando as melhorias que acredito”, acrescentou.

Pandemia

Perguntado sobre a pandemia da Covid-19 na cidade, com foco na reabertura do comércio, Oziel diz que é favorável, mas com “cautela” e “medidas preventivas”.

0 0 voto
Article Rating