Para Bolsonaro, se decreto de armas for inconstitucional tem que deixar de existir

Essa declaração foi dada pelo presidente durante a cerimônia de lançamento da pedra fundamental da construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, nesta sexta-feira (10)

Foto: Divulgação / Google Imagens

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que, “se for inconstitucional, [o decreto] tem que deixar de existir”. Essa declaração foi dada pelo presidente durante a cerimônia de lançamento da pedra fundamental da construção da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, nesta sexta-feira (10).

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber, estabelecer um prazo de cinco dias para o governo apresentar mais explicações sobre o decreto que flexibiliza o porte e a posse de armas.

“Teremos um bom embate no tocante a isso [decreto das armas], pode ter certeza. Não estamos fazendo nada mais do que o povo quis em 2005. E estamos dentro do limite da lei. Se for inconstitucional, tem que deixar de existir”, falou Bolsonaro. O Presidente ainda afirmou que o decreto será analisado na Comissão de Constituição e Justiça e depois pelo Plenário de Câmara.

2 Comentário

  1. Inconstitucional foi passar por cima da vontade do povo no plebiscito de 2005 quando a maioria da População votou pelo “não desarmamento” e sem respeito a População fizeram o que fora conviniente a eles!
    O Povo acordou!

  2. Em 1970 você comprava armas até em lojas de departamentos como a Mesbla !!!…
    Para quem não conheceu a Mesbla era tipo uma Lojas Americanas !!!…
    E “Não”, não haviam tiroteios pelas ruas, nem o Brasil era um “bang-bang”, muito pelo contrário, os bandidos tinham medo de assaltar cidadãos de bem !

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*