Polícia investiga hipótese de participação de Carlos Bolsonaro na morte de Marielle

A nova hipótese é tratada com cautela, mas surge após 616 dias de investigação que não apontaram um caminho definitivo.

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Rio de Janeiro passou a trabalhar com uma nova hipótese sobre a morte da vereadora Mariellle Franco. Dessa vez, o vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, estaria envolvido no crime. A informação foi divulgada pelo jornalista Kennedy Alencar, da Rádio CBN, nesta quarta-feira (20).

De acordo com Kennedy, a Polícia vê um elo de grande proximidade entre Carlos e Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos que mataram Marielle e o motorista Anderson Gomes. A nova hipótese é tratada com cautela, mas surge após 616 dias de investigação que não apontaram um caminho definitivo.

“O Carlos Bolsonaro e a Marielle Franco tiveram uma discussão pública forte na Câmara Municipal e o vereador se recusava a entrar no elevador se a vereadora estivesse dentro. Havia um claro clima de hostilidade entre os dois”, aponta o jornalista.

O vereador apagou suas contas nas redes sociais cerca de uma semana antes da divulgação dessa nova linha de investigação da Polícia Civil.

14 Comentário

  1. Vamos deixar a polícia trabalhar?
    Se por acaso, ficar comprovado que uma outra pessoa matou a Marielle, quem é que vai apagar o que foi escrito?
    Principalmente das mentes das pessoas?
    Acho uma irresponsabilidade dos órgãos de imprensa ficarem publicando especulações sobre um crime de assassinato!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*