Dois policiais militares, investigados pela tortura e morte de um homem, tiveram sua prisão preventiva restabelecida, nesta terça-feira (20). Conforme divulgado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), o crime aconteceu na cidade de Itapebi, no dia 16 de janeiro  e a dupla estava em liberdade desde junho.

De acordo com a denúncia, Ricardo Soares de Oliveira Schaun e Raphael Santos de Oliveira teriam provocado intenso sofrimento físico e mental em Epaminondas Batista Mota, com o objetivo de obter a confissão dele sobre o furto de um aparelho celular.

Ainda segundo o MP-BA, os atos de tortura praticados pelos dois policiais causaram a morte da vítima. Atendendo a um pedido do órgão estadual, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou o habeas corpus que havia soltado os policiais.

A Justiça tomou a decisão considerando a necessidade da prisão preventiva dos acusados para resguardar a ordem pública.

0 0 votos
Article Rating