Policiais treinam com cães para captura de traficantes em Pojuca

“O cachorro é de fundamental importância em ações de farejo de drogas, busca, resgate, grandes eventos, entre outras atividades. Todas as grandes polícias no mundo têm o seu canil".

Foto: SSPBA

Com o intuito de aperfeiçoar a utilização de cães em unidades da Polícia Militar espalhadas pelo estado, a Companhia de Operações com Cães (COC) do Batalhão de Choque (BPChq) realizou, entre o dia 6 de novembro e o final da tarde desta sexta-feira (10/11), um treinamento para equipe da 32ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Pojuca). Além das instruções teóricas e práticas, os policiais observaram a atuação das guarnições do Batalhão no jogo Vitória e Palmeiras.

Durante cinco dias os PMs da 32ª CIPM tiveram aulas das matérias Manejo do Cão, Adestramento Básico, Condução do Cão de Detecção, Legislação Aplicada a Operações com Cães e Noções de Emprego do Cão em Praças Desportivas, de Veterinária e Faro de Entorpecentes.

A unidade, lotada na Região Metropolitana de Salvador, possui uma cadela da raça Labrador, chamada Luna, que no último dia 8 (quarta-feira) atuou na captura de um traficante. Ela conseguiu localizar 70 pedras de crack e 34 pinos de cocaína.

“O cachorro é de fundamental importância em ações de farejo de drogas, busca, resgate, grandes eventos, entre outras atividades. Todas as grandes polícias no mundo têm o seu canil. O nosso objetivo é avançarmos, com o padrão de excelência conquistado ao longo dos anos, para outras unidades”, explicou o comandante do BPChq, tenente-coronel Paulo Guerra

Leia também: