Por falta de equipamentos essenciais para o funcionamento, a exemplo de respiradores, o início das atividades do hospital de campanha de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia, precisou ser adiado. As atividades na unidade de saúde iriam começar na sexta-feira (5).

O hospital, que é destinado para pacientes graves do extremo sul, infectados pelo novo coronavírus (Covid-19, foi montado no estacionamento do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas e está pronto desde a semana passada. A estrutura é uma parceria de empresas com o Governo da Bahia.

Na sexta-feira, quando estava prevista a abertura, a unidade recebeu móveis e dois respiradores, o que representa 10% da quantidade necessária para funcionar. A estrutura conta com capacidade para 20 leitos.

Em nota, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) explicou que a responsabilidade para operação, incluindo os aparelhos e profissionais, é municipal, ou seja, da prefeitura de Teixeira de Freitas. No entanto, na ocasião, o órgão municipal destacou que ainda não havia recebido nenhum comunicado oficial sobre essa responsabilidade.

A Suzano, que também foi responsável pela construção do hospital, salientou que, em conjunto com a Veracel, fez investimentos expressivos para construção e montagem da unidade de saúde, e que, neste momento, estão atuando para que novos respiradores cheguem ao local.

Segundo o último boletim divulgado pela Sesab, na noite da sexta-feira (5), Teixeira de Freitas já soma mais de 180 casos confirmados da Covid-19.

0 0 voto
Article Rating