O promotor de Justiça do Ministério Público Estadual (MP-BA), Everardo Yunes, responsável pelo setor de improbidade administrativa e crimes de administração pública em Camaçari, justificou os motivos de ter pedido a prisão preventiva do presidente da Câmara Municipal de Camaçari, vereador Oziel (PSDB), o que pode vir a ser considerado um “excesso”, sobretudo pela parte acusada.

Durante entrevista ao programa Bahia no Ar, apresentado pelo radialista Roque Santos, o promotor argumentou que a prisão faz-se necessária para impedir que o vereador Oziel cometa “novos crimes”. “É importante para resguardar a colheita de provas. Não posso deixa-lo livre para que ele possa eventualmente produzir documentos que dificultem a ação, para que não forje provas e não tente burlar o conhecimento da Justiça e da população”, explicou.

Do ponto de vista do promotor, Oziel já teria demostrado, através de comprovadas ações que colocam em cheque a sua honestidade enquanto gestor público, ser indigno de confiança para permanecer no cargo durante o processo. “Pelas atitudes, ele demonstra ser propenso a novas práticas delituosas”, disparou Everardo Yunes.

Ouça a íntegra da entrevista do promotor do MP sobre a denúncia:

0 0 voto
Article Rating