Quatro parlamentares do PP viram réus no STF acusados de formar organização criminosa

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (11), por 3 votos a 2, aceitar a denúncia do Ministério Público contra três deputados e um senador do Progressistas (PP) por organização criminosa.

Os quatro políticos são acusados de desviar dinheiro da Petrobras no esquema investigado pela Operação Lava Jato.

Com a decisão da Segunda Turma, os quatro políticos passam à condição de réus e responderão a uma ação penal. A decisão não representa condenação. Ainda haverá a fase de instrução do processo; depois, os depoimentos das testemunhas; e colheita de provas. Ao final, eles serão julgados, podendo ser condenados ou absolvidos.

Viraram réus os seguintes políticos do PP: Eduardo da Fonte (PP-PE), deputado; Arthur Lira (PP-AL), deputado; Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), deputado e Ciro Nogueira (PP-PI), senador.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*