Rui defende reforma e diz que déficit previdenciário foi estimado em 4,3 bilhões

Foto: Reprodução / Michel Jesus - Câmara dos Deputados

De acordo com o governador Rui Costa (PT), no ano passado, o déficit previdenciário foi estimado em 4,3 bilhões, a informação foi dada na manhã de hoje,27, durante uma entrevista ao apresentador Mário Kertész, da Metrópole. Na oportunidade, Rui defendeu a reforma da previdência dos servidores estaduais, enviada pelo Executivo à Assembleia Legislativa da Bahia.

“Em 2005 o déficit R$300 milhões na previdência, ano passado, em 2019, foi de 4,3 bilhões. Quem paga essa conta é o povo pobre, os trabalhadores. 92% do povo baiano ganha até dois salários mínimos. Temos um perfil de baixa renda no estado. Um governador não pode imprimir dinheiro”, destacou o petista.

Ainda segundo Rui, a proposta enviada pela Bahia foi a mais “amena”, com relação aos demais estados.

“Só tem duas opções, aumentar impostos, o que é sacrificar o povo da Bahia. Essa opção não está no horizonte nem meu nem dos governadores do Brasil. Tanto é que 20 governadores já enviaram a reforma. A tornamos ainda mais amena do que os outros”, acrescentou.

Rui Costa também afirmou que já foram colocados aproximadamente R$17 bilhões de reais em cinco anos para pagar aposentados.

A proposta deve ser votada nesta semana na Assembleia Legislativa da Bahia.

Paralisação

Nesta segunda-feira, 27, os policiais civis e penais iniciaram uma paralisação em protesto contra a proposta da reforma da Previdência estadual (PEC 159/2020). O ato está previsto para durar cerca de 48h. A paralisação foi aprovada pelas categorias durante uma assembleia conjunta, realizada na terça-feira, 21.

Através de um ofício destinado ao Governo do Estado, os policiais solicitaram tratamento isonômico em relação aos policiais militares e pediram que a PEC 159/2020 garanta também a redução da idade mínima da aposentadoria e manutenção de 100% do abono de permanência.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*