Na manhã desta quinta-feira (30), durante a primeira edição do programa Bahia No Ar (Rádio Sucesso 93.1 / rádio Metropolitana Web), o radialista Roque Santos conversou com o vereador Fernando Calmon. Na pauta destaque, as denúncias acatadas pela Câmara Municipal de Candeias contra o prefeito da cidade, Pitágoras Alves Ibiapina (PP), sobretudo, a segunda, que aconteceu na última terça-feira (28).

“Um corrupto pode ficar no poder? […] A gente precisa avaliar tudo isso”, começou o parlamentar, que é Presidente da Comissão Processante.

Na primeira denúncia, o vereador destaca que estão em texto as seguintes malsinações: “contratação de aluguel de carros, no valor de quase sete [7] milhões […] é um valor que chama realmente atenção. Contratação de carro de som para divulgação da pandemia, no valor de duzentos e quarenta e nove [249] mil. Compra de respiradores, supostamente faturados. E tem o caso do óbito da criança, que foi arrumada próximo ao coletor de lixo, na entrada do Hospital Ouro Negro”, enumera o edil.

Ainda de acordo com Calmon, nove vereadores, incluindo três da base do prefeito, votaram a favor do afastamento do gestor de Candeias durante a primeira votação na Casa Legislativa.

Na sequência, ele frisou que foram feitas várias tentativas de contato com o prefeito e com os secretários atuantes na gestão, mas não houve retorno.

“A gente tá cansado de encaminhar ofícios para o prefeito e para os secretários e eles não respondem […] Eu tive que entrar na Justiça para cumprir o meu mandato de fiscalização”, afirmou.

“Nunca travei a máquina pública. Fui sorteado, não escolhi não, fui sorteado para compor essa Comissão […] Vou agir com toda a imparcialidade e já estamos em contato com os órgãos de fiscalização externa […] Se for inocente, vai ser declarado inocente. Se for culpado, vai ser declarado culpado”, completou Calmon.

Justiça

No dia 10 de julho, o juiz da Vara Cível de Feitos de Rel. de Cons. Cível e Comerciais de Candeias, Leonardo Bruno Rodrigues do Carmo, suspendeu o afastamento de Pitágoras, e com isso, o gestor segue em atuação.

Um dia antes (9 de julho), os vereadores haviam votado pela primeira vez solicitando afastamento do gestor municipal.

Outras informações

Os vereadores de Candeias já acataram pela segunda vez, em menos de 30 dias, denúncias contra o prefeito Pitágoras.

A primeira ocorreu no dia 9 de julho, quando os edis acataram o pedido protocolado pelo morador Marcelo Vilas boas, que acusa o prefeito de superfaturamento na compra de respiradores.

Falso Médico

As investigações também seguem a apuração da contratação de falsos médicos para atuação na Unidade de Saúde da Família Luiz Viana Filho, em janeiro de 2017.

O destaque é o caso da moradora Ellen Celestino, que informou que um falso médico, identificado como Filipe Borges CRM 23.565, teria atendido e realizado diversas prescrições de medicamentos, exames e procedimentos para centenas de moradores de Candeias, o que incluiu até atestados de óbito. Em inquérito, o homem teria dito que era estudante de medicina e não medico, o que configura crime de exercício ilegal da profissão.

A mesma denúncia também afirma que uma pessoa teria se apresentado como uma médica [Adriana Maltez, CRM 28.915] e, após ser denunciada, teria abandonado o plantão. Sobre o caso, a denunciante diz que a verdadeira médica Adriana Maltez teria prestado queixa na delegacia e no Conselho Regional de Medicina, afirmando que nunca havia trabalhado em Candeias.

5 1 voto
Article Rating