O Secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, veio a público na sexta-feira (26) para manifestar seu descontentamento com os estádios lotados na Bahia em plena pandemia da Covid-19. A seu ver, ampliando a participação do público nos jogos, o governador Rui Costa (PT) promoveu um “carnaval”.

“Com todo respeito ao governador, deixo aqui as minhas considerações: as imagens que estamos vendo nos estádios de futebol da Bahia, inclusive com cerveja e 35.000 pessoas, remetem ao discurso de cautela? Qual o parâmetro epidemiológico para esta decisão?”, ele questionou.

Revoltado, o membro do governo de Bruno Reis (DEM) compartilhou vídeos de jogos onde ninguém é visto utilizando máscara de proteção. “Estamos vendo carnaval todo final de semana”, Leo Prates escreveu, “vamos todos pagar essa conta!”.

O ex-secretário de Saúde do governo do Estado, Fábio Vilas-Boas, respondeu uma das publicações de Leo, a fim de justificar as últimas determinações de Rui. “O parâmetro epidemiológico adequadamente usado pelo governador é o do binômio intensidade X tempo de exposição. Os estádios possuem MILHARES de pessoas (não milhões) juntas ao AR LIVRE por apenas 2h. Bem diferente do carnaval! E sobre a cerveja: ainda não é fator de risco”, Fábio afirmou.

Pouco satisfeito com a justificativa, o secretário municipal o rebateu em seguida. “Saudando meu amigo e professor, Fabio Vilas-Boas, vejo que futebol não é o forte dele: a torcida chega antes e sai muito depois quando ganha, fui líder de torcida”, explicou.

0 0 votos
Article Rating