Sem medidas de contenção, estudo prevê 1 milhão de mortos no Brasil pelo coronavírus

Foto: Reprodução / EFE - Giuseppe Lam

Segundo editorial da revista médica “Lancet”, em toda América Latina, o Brasil será o país mais afetado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O estudo projeta que aproximadamente 1,15 milhão de mortes pela doença.

A “Lancet” é considerada um dos principais eixos globais de informação científica sobre o novo coronavírus. A revista ressalta que alguns governos ainda não encaram o vírus com a seriedade que ele apresenta e, inclusive, cita especificamente o presidente Jair Bolsonaro, o único governante a ter o nome mencionado e criticado durante a pesquisa.

“Muitos governos têm respondido rapidamente, mas muitos ainda não encaram a ameaça da Covid-19 com seriedade — por exemplo, ignorando a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de evitar aglomerações. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, tem sido fortemente criticado por especialistas em saúde e enfrenta uma reação negativa cada vez maior por sua fraca resposta”, revela parte do texto contido no editorial.

Outra pesquisa, do grupo de resposta à Covid-19 do Imperial College de Londres, batizada de “O impacto global da Covid-19 e as estratégias de mitigação e supressão”,  estima que 1.152.283 óbitos sejam registrados no Brasil, caso medidas de contenção não sejam rapidamente aplicadas. Ainda segundo o estudo, com a adoção das medidas mais radicais e precoces esse número despencaria para 44 mil brasileiros mortos.

No Brasil, até a última atualização do Ministério da Saúde, já foram confirmadas 4.256 infecções pelo novo coronavírus e 136 óbitos por complicações causadas pela doença.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*